Você sabe o que faz um engenheiro de custos?

mar 28, 2018

IBEC

Carreira, Engenharia

0

Você sabe o que faz um engenheiro de custos?

A engenharia de custos é a área da engenharia dedicada à gestão financeira de um projeto, envolvendo atividades como estimativa, controle de gastos, previsão de custos, avaliação de investimentos e análise de risco. Entre outras atribuições, esses engenheiros planejam e monitoram projetos de investimento. Eles buscam o equilíbrio ideal entre os gastos, a qualidade e os requisitos de tempo. Mas, afinal, o que faz um engenheiro de custos?

O conhecimento deles é semelhante ao dos agrimensores, porém a sua formação é mais rica em habilidades de administração e gestão de projetos. Assim, ele é um engenheiro cujo julgamento e experiência são utilizados na aplicação de princípios e técnicas científicas a problemas de planejamento de negócios e ciência de gestão financeira, como análise de rentabilidade.

Quer conhecer mais sobre essa área? Continue a leitura e esclareça suas dúvidas!

O que faz um engenheiro de custos?

Um dos principais objetivos da engenharia de custos é chegar a cronogramas e orçamentos precisos e evitar que os projetos excedam seu orçamento. Porém, ela vai além disso e ajuda a gerenciar recursos e apoiar a tomada de decisões.

Portanto, ela pode ​​ser considerada como algo que abrange uma ampla gama de aspectos relacionados aos custos de projetos de engenharia em geral, mas em particular:

  • a estimativa de gastos — é o cálculo da expectativa de custo de um projeto de acordo com os padrões definidos pelos clientes;
  • análise econômica — é uma previsão de como estará o mercado e a saúde financeira de uma empresa durante a execução de um projeto;
  • elaboração de orçamento — envolve o levantamento detalhado de todos os custos de um projeto para a elaboração de um documento que deve ser entregue ao cliente e aos gestores da obra. No orçamento, deve-se detalhar o gasto com fornecedores, mão de obra, equipamentos, materiais etc;
  • controle de mudanças — mesmo que o orçamento e o planejamento tenham sido impecáveis, há sempre imprevistos. Por isso, é importante controlar as mudanças que devem ser feitas durante um projeto e calcular o seu impacto econômico;
  • análise de risco — é um procedimento que avalia os riscos financeiros de cada etapa de um projeto. Por exemplo, é possível que determinado insumo, como o diesel, tenha uma elevação inesperada por uma crise no fornecimento de petróleo. Um engenheiro deve, portanto, elencar os riscos mais prováveis e como eles vão mudar o cenário do projeto.

A ampla gama de temas de engenharia de custos representa a interseção dos campos de gerenciamento de projetos, gerenciamento de negócios e engenharia. É, portanto, uma área para quem gosta de desafios interdisciplinares e não quer ficar restrito a somente uma área de conhecimento.

A maioria das pessoas tem uma visão limitada do que a engenharia engloba. A percepção mais óbvia é que a engenharia aborda questões técnicas, como o design físico de uma estrutura ou sistema.

No entanto, além da manifestação física de um projeto de estrutura ou sistema (por exemplo, um edifício), existem outras dimensões a serem consideradas, como o dinheiro, o tempo e outros recursos que foram investidos na criação do prédio. Os engenheiros referem-se a esses investimentos coletivamente como “custos”.

A engenharia de custo, então, pode ser considerada um complemento da tradicional, a qual reconhece e se concentra nas relações entre as dimensões física e de custo do que quer que seja “projetado”. Essa área é mais frequentemente ensinada em universidades focando em áreas da engenharia civil e de produção.

Como é a formação de um engenheiro de custos?

Não existe uma graduação em engenharia de custos. Por enquanto, ela é uma área complementar para as demais áreas da engenharia, principalmente a da construção civil. Após se graduar, o profissional pode buscar um MBA ou uma especialização. O ideal é procurar um curso acreditado pelo International Cost Engineering Council (ICEC) — o Conselho Internacional de Engenharia de Custos — que representa a profissão nos mais diversos países do mundo.

Como dissemos, é uma formação multidisciplinar, que envolve conhecimentos de economia, administração, direito e gestão de projetos. Os melhores cursos contam com os seguintes conteúdos:

  • licitações e contratos;
  • desenvolvimento profissional;
  • negociação;
  • metodologia de pesquisa;
  • gerenciamento de obras;
  • planejamento e controle de obras I e II;
  • gestão de contratos e pleitos;
  • preço de serviço de engenharia e arquitetura;
  • informática aplicada;
  • custos de concessão;
  • avaliação econômica;
  • estimativa de custos.

Assim, ao final do curso, você será capaz de:

  • transmitir aos profissionais de engenharia, arquitetura, agronomia e afins, conhecimentos na área de custos;
  • elaborar propostas de orçamento para estudos, projetos, gerenciamento de empreendimentos e de obras na área de interesse;
  • planejar e controlar empreendimentos de engenharia;
  • apresentar as modernas técnicas de gerenciamento de obras;
  • elaborar propostas técnicas e de habilitação.

Como está o mercado para um engenheiro de custos?

Para um profissional com experiência na área de engenharia, o salário inicial gira em torno de R$ 5.000 e pode chegar até R$ 7.500. É uma área em que é necessária uma qualificação sólida: de acordo com um levantamento da Catho, 95% dos profissionais têm uma pós-graduação. Por isso, o salário inicial é relativamente alto.

Outro atrativo é uma menor concorrência nas vagas em comparação com outras áreas da engenharia. Você perceberá que, no mercado, à medida que um profissional se especializa e investe pesado em sua educação, ele se torna mais precioso para as empresas e as ofertas de trabalho aumentam. Como, no Brasil, abriram várias vagas de graduação em engenharia, muito mais do que o mercado conseguiu absorver, somente um curso superior não é suficiente para o mercado de trabalho.

Na área da construção civil, então, há um enorme gargalo. Há diversos profissionais, mas pouca mão de obra bem capacitada, especialmente nas áreas administrativas. Por isso, a média salarial de um engenheiro de orçamentos do mercado imobiliário é de R$ 11.000.

Enfim, esse é o panorama de como é a atuação e o mercado de um engenheiro dessa área, que tem se tornado bastante lucrativa.

Se você tem um perfil dinâmico e gosta de aprender sobre assuntos variados, além de ter talento para a gestão e administração, pode ser muito interessante cursar um MBA de engenharia de custos, como o que oferecemos na IBEC! Se você não sabia o que faz um engenheiro de custos, agora você tem uma oportunidade de conhecer melhor a área!

Você se interessou e quer saber mais detalhes sobre nossa instituição? Então, entre em contato conosco!

Comentários
Post by IBEC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *