Por que vale a pena fazer um curso de auditoria de engenharia?

fev 15, 2019

IBEC

Carreira

0

Por que vale a pena fazer um curso de auditoria de engenharia?

O termo auditar remete à ideia de examinar, investigar ou aferir a conformidade de um determinado objeto. No caso específico da auditoria de engenharia, esse exame se dá sobre um objeto determinado: uma obra ou serviço de engenharia.

A auditoria de engenharia compreende um segmento em franca ascensão, especialmente pelos debates em torno de tragédias, como desabamentos de prédios e rompimentos de barragens, que vêm trazendo à tona uma série de questionamentos quanto à segurança de estruturas de engenharia.

Pensando nisso, preparamos um resumo bem didático e objetivo sobre o universo da auditoria de engenharia, destacando aspectos relevantes para que você possa entender como atua o profissional dedicado a uma área tão interessante e importante.

Se você deseja conhecer um pouco mais sobre esse campo do conhecimento, acompanhe a leitura deste artigo. Confira!

O que é uma auditoria de engenharia?

A auditoria de engenharia pode ser entendida como a atividade de avaliar a conformidade em obras ou serviços de engenharia. Os objetos a serem alvo da fiscalização compõem aquilo que se costuma denominar como escopo.

É o escopo que define o objeto que será auditado, o que pode abranger tanto análises sobre as etapas iniciais de planejamento e execução de uma obra até uma apreciação mais acurada sobre a qualidade e segurança pós-operação.

Como funciona uma auditoria de engenharia?

A auditoria de engenharia, assim como qualquer outro tipo de auditoria, baseia-se em três principais etapas: planejamento, execução e conclusão.

Na etapa de planejamento a equipe de auditores efetivamente planeja todos os passos necessários para sua execução, preenchendo um documento denominado Matriz de Planejamento. É nessa matriz que serão definidos os principais aspectos que vão nortear os trabalhos. São eles:

  • as questões de auditoria, que consistem no resumo dos pontos a serem investigados;
  • os procedimentos onde serão elencadas todas as técnicas e estratégias metodológicas a serem utilizadas a fim de investigar o objeto discriminado no escopo e detalhado nas questões;
  • os critérios que representam a base para verificar se o objeto auditado está ou não dentro de padrões técnicos estabelecidos, abrangendo as leis, regulamentos e normativos tomados por referência para o estudo;
  • os responsáveis e cronograma pela execução de cada um dos procedimentos previstos, de modo que seja possível definir quem vai executar o quê e quando.

A segunda etapa compreende a execução propriamente dita. É nessa fase que são realizados todos os procedimentos detalhados na Matriz de Planejamento. No caso de serem detectadas inconsistências ou problemas durante a fase de execução, tais ocorrências são formalizadas em um documento denominado Matriz de Achados que nada mais é que a consolidação de todos os achados encontrados pelo auditor.

A última etapa, denominada de conclusão, corresponde à consolidação das constatações efetivadas ao longo das investigações naquilo que se chama de Relatório Final.

Nesse relatório estarão discriminadas todas as etapas do trabalho: a motivação, o detalhamento do objeto analisado, as constatações efetivadas e a listagem das possíveis irregularidades detectadas, tudo devidamente caracterizado por meio de evidências (geralmente coletadas por meio de processos de amostragem).

É nessa fase final que o auditor emite sua opinião ou julgamento sobre o objeto auditado, bem como sugere possíveis recomendações. As boas práticas observadas também costumam ser reportadas no Relatório Final.

Qual a importância da auditoria de engenharia para construção civil?

O aumento da demanda por grandes obras de infraestrutura nos últimos anos elevou o número de empresas executoras (as famosas empreiteiras), sendo indispensável a atividade fiscalizatória para assegurar o desempenho dessas prestadoras de serviços na execução de obras e serviços de engenharia.

Nesse sentido, a auditoria de engenharia apresenta-se como uma atividade indispensável para assegurar a fiel execução dos contratos e o atendimento aos requisitos de qualidade técnica.

Além disso, a auditoria de engenharia aplicada à construção civil exerce um papel fundamental especialmente quanto à segurança e durabilidade das estruturas. O objetivo, nestes casos, é aferir se possíveis ajustes ou medidas preventivas estão sendo efetivamente adotados e, caso isto não esteja acontecendo, propor rotinas corretivas.

Trata-se, portanto, de uma atuação esta importantíssima para prevenir a ocorrência de sinistros e outros eventos danosos.

Quais os principais aspectos avaliados durante uma auditoria de engenharia?

Os principais aspectos avaliados relacionam-se diretamente com o escopo definido durante a fase de planejamento (que já detalhamos acima).

Numa auditoria de conformidade da execução de obras, avalia-se especialmente questões como:

  • habilitação dos profissionais e empresas envolvidos na execução;
  • avaliação dos custos e preços;
  • análise dos estudos e projetos elaborados;
  • análise qualitativa e quantitativa (comparando serviços previstos x serviços efetivamente executados);
  • averiguação acerca da compatibilidade do estágio da obra com o cronograma físico-financeiro previsto.

Já numa auditoria ambiental, os principais aspectos auditados recaem sobre avaliação do impacto da obra sobre o meio ambiente, existência de estudos prévios sobre impactos ambientais (EIA/RIMA) e licenciamento ambiental (Licença prévia, Licença de Instalação ou Licença de Operação), bem como na efetiva realização de audiências públicas para debate com a sociedade dos impactos ambientais decorrentes da implantação da obra.

As auditorias de qualidade, por sua vez, têm foco centrado principalmente nas certificações, sendo analisado a aderência de empresas (especialmente de construção civil) a procedimentos que assegurem a conformidade e qualidade em todo o processo executivo da obra. Alguns aspectos avaliados são a capacitação dos profissionais envolvidos, a inspeção de serviços e materiais; os critérios adotados para contratação de fornecedores e as ações preventivas adotadas em situações de possíveis riscos.

Como você pode ter concluído, esse campo de atuação é fértil. As possibilidades são inúmeras! No entanto, exigem do profissional um alto nível de conhecimento, aperfeiçoamento contínuo e domínio tanto da legislação vigente como das tecnologias e metodologias da engenharia.

Em síntese: especializar-se é condição praticamente indispensável para atuar nessa área e tornar-se um profissional de sucesso. E para não perder esse verdadeiro “filão”, fazer um bom curso de especialização pode ser o caminho mais rápido e seguro para alcançar êxito e reconhecimento profissional.

Isso porque numa pós-graduação em nível de especialização é possível conhecer, em um curto espaço de tempo, um panorama sobre um determinado assunto focado em aspectos essenciais para atuação em campo, com base em estudos de cases reais e situações práticas.

E aí, gostou do nosso conteúdo? Está preparado para mergulhar no fascinante universo da auditoria de engenharia? Aproveite e baixe o nosso e-book sobre Preços de Serviços de Engenharia e Arquitetura Consultiva.

Nele, você encontrará informações valiosas sobre como elaborar propostas de preços de serviços na área de arquitetura e engenharia, aplicável tanto para empresas de consultorias como para profissionais autônomos. Boa leitura!

Comentários
Post by IBEC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *