Como executar uma avaliação econômico-financeira?

ago 29, 2018

IBEC

Dicas, Gestão

0

Como executar uma avaliação econômico-financeira?

As empresas têm buscado, constantemente, vários instrumentos administrativos e de gerenciamento, com o objetivo de conhecer melhor seu próprio negócio e saber o que deve ser feito em relação a perspectivas de crescimento e aumento nos lucros. Várias técnicas têm sido utilizadas e uma das alternativas encontradas é a avaliação econômico-financeira.

Para entender melhor o que é essa avaliação e como ela é importante para a empresa, preparamos este artigo especialmente para você. Começaremos definindo o que é a avaliação econômico-financeira e como ela deve ser feita.

Depois, falaremos sobre a avaliação ser tão importante para as organizações e, é claro, os seus impactos positivos. Por último, apresentaremos, de forma resumida, sobre como utilizar índices, indicadores financeiros e balanço patrimonial para executar um bom plano de avaliação econômico-financeira em sua empresa. Vamos lá?

O que é avaliação econômico-financeira e como executá-la?

É um método de análise que você deve utilizar para entender a atual estrutura econômica e financeira da empresa. Para tal, é necessário realizar o estudo do balanço patrimonial e do Demonstrativo de Recurso do Exercício (DRE).

Com a execução da avaliação, vários caminhos são abertos para o futuro da empresa, seja uma política de austeridade, caso a situação não esteja boa ou uma nova política de investimentos — com aquisição de máquinas ou até mesmo fusões, caso os resultados indiquem uma perspectiva positiva sobre o futuro.

Para realizar um bom plano de avaliação econômico-financeira, é necessário, antes de tudo, organizar toda a vida financeira da empresa e incluí-la nesse processo. Lembre-se que orçamentos ocultos desvirtuam a situação real da firma.

Pelo menos três etapas são fundamentais para que essa tarefa seja feita de forma adequada: os índices e indicadores financeiros, o balanço patrimonial e, por fim, o relatório, que analisa a situação econômica da organização e avalia os outros fatores anteriores.

Índices e indicadores financeiros

É necessário avaliar diversos índices e indicadores financeiros. Os principais são:

  • Indicadores de Estrutura de Capital;
  • Indicadores de Capacidade de Pagamento de Dívidas;
  • Indicadores de Rentabilidade;
  • Indicadores de Atividade Operacional.

O primeiro se refere à parte dos recursos oriundos da própria empresa, constantes no patrimônio líquido. Já o segundo índice é referente à capacidade da empresa no pagamento de dívidas em curto prazo. O terceiro diz sobre a análise da margem de lucro em comparação à receita bruta das vendas. Por fim, o último indicador reflete o prazo médio do recebimento das vendas praticadas ao longo do ano.

Balanço Patrimonial

Para calcular o balanço patrimonial, é necessário conhecer a fundo todos os índices anteriormente citados, pois eles determinam este balanço. A estrutura convencional do balanço patrimonial é bastante conhecida no mundo da administração e deve conter:

  • o ativo total;
  • o passivo total
  • o patrimônio líquido que a empresa possui.

Ativos

Ativos nada mais são do que bens que a empresa possui e vão desde imóveis até dinheiro. Dividem-se em:

  • Ativo circulante — com disponibilidade de curto prazo (menor que um ano);
  • Ativo não-circulante — que possui disponibilidade a longo prazo (mais de um ano);
  • Ativo imobilizado — destinado para manutenção dos bens que tornam possíveis as atividades das empresas, como os imóveis;
  • Ativo intangível — que não possui existência física, como direito de exploração de serviços públicos.

Passivos

Divide-se em dois: passivo circulante (até um ano) e passivo não-circulante (até dois anos).

Patrimônio líquido

O patrimônio líquido divide-se em capital social e reservas de capital. O primeiro é a parcela do patrimônio líquido de uma firma ou instituição, oriundo de investimentos ou de ações no mercado.

Já as reservas de capital são saldos, em dinheiro, que não podem ser devolvidos aos investidores na forma de lucro ou dividendos. Devem ou alimentar o capital social ou compensar os lucros acumulados.

Como utilizar essas ferramentas para executar uma avaliação econômico-financeira?

Explicaremos abaixo como calcular cada índice e indicador, além de como deve ser feito o balanço patrimonial.

Análise do balanço patrimonial

Para mensurar os indicadores financeiros listados é necessário, em primeiro lugar, analisar o balanço patrimonial e o demonstrativo de resultado do exercício conjugado. A estrutura mais conhecida é padrão: ativo, passivo e patrimônio líquido.

Indicador de Estrutura de Capital

Para calcular este indicador, você deve seguir a seguinte fórmula:

Passivo Circulante + Exigível de Longo Prazo ÷ Patrimônio Líquido

– Nível de Desconto de Duplicatas;

– Imobilização do Patrimônio Líquido.

Para calcular o índice de capacidade de pagamento de dívidas, você deve seguir a seguinte fórmula:

Ativo Circulante ÷ Passivo Circulante

– Liquidez Imediata;

– Liquidez Seca;

– Liquidez Geral.

Para calcular o índice de rentabilidade, siga a fórmula:

Resultado Líquido do Exercício x 100 ÷ Receita Líquida de Vendas

– Rentabilidade do Ativo;

– Rentabilidade Patrimonial;

– Giro do Ativo.

Para calcular o índice de atividade operacional, você deve seguir a fórmula:

Duplicatas a Receber x 365 ÷ Receitas de Vendas (durante um ano)

– Prazo Médio de Renovação de Estoques;

– Prazo Médio de Pagamento de Compras.

Quais instrumentos utilizar para executar um bom relatório de avaliação econômico-financeira?

Vivemos na era da tecnologia e ela deve ser utilizada para facilitar o trabalho humano. E isso não é diferente na administração de uma empresa que quer executar um relatório econômico financeiro. Sendo assim, recomenda-se a utilização de alguns softwares para auxiliar na tarefa.

Em primeiro lugar, o Excel é sempre indicado para essas atividades. Possui um caráter muito intuitivo e ainda é o programa mais popular para auxiliar nas ações dos administradores. Entretanto, outros aplicativos têm surgido e merecem um pouco mais de sua atenção, como o Cake, Qipu e outros. Escolha aquele que você mais se familiariza e, caso o trabalho seja feito em grupo, consulte os colegas também.

Você aprendeu neste post o que é uma avaliação econômico-financeira e como fazê-la. Considere iniciar o planejamento para iniciar essa ação o mais rápido possível, pois ela é essencial para o bom andamento da empresa e para o seu crescimento. Além disso, busque sempre se atualizar quanto às técnicas, ferramentas e metodologias utilizadas para este fim! Lembre-se: faça hoje para colher os frutos amanhã!

Agora que você já sabe como executar uma avaliação econômico-financeira, que tal compartilhar este post com seus amigos para que eles também conheçam sobre o assunto?

Comentários
Post by IBEC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *