8 erros comuns no orçamento de obras que você pode evitar

8 erros comuns no orçamento de obras que você pode evitar

Os orçamentos de obra vêm ganhando cada vez mais dedicação dentro dos projetos de engenharia. Isso porque as construtoras e empresas do ramo identificaram que muito dinheiro é perdido por conta do mau planejamento. Embora boa parte das empresas contem com departamentos exclusivos para isso, muitas vezes o trabalho ainda é ineficiente.

Para amenizar essas questões, se tem investido muito em modernização de metodologias e ferramentas de gerenciamento de obras e planejamento de custos, utilizando técnicas de gestão e administração. Nesse contexto, se evidencia o papel do trabalho do engenheiro de custos, que ganha cada vez mais prestígio nas empresas de construção civil.

Contudo, antes de realizar um bom orçamento é necessário aprender com os erros. Neste post, apontamos os oito erros mais recorrentes num orçamento de obras e como evitá-los. Leia com atenção e prepare-se para otimizar os projetos de engenharia da sua empresa!

Quais são os oito erros mais recorrentes no orçamento de obras?

Listamos abaixo os oito erros mais recorrentes cometidos pelas empresas de construção civil durante um projeto de orçamento.

1. Não adequar os métodos usados na construção

Quem trabalha com construção civil sabe que existem muitos métodos para a execução de uma obra e todos apresentam suas vantagens e desvantagens em relação aos demais. Entretanto, escolher um método não significa não o adaptar. É comum que empresas tentem importar métodos construtivos que acabam não dando certo, aumentando custos e diminuindo a qualidade do serviço.

Isso ocorre porque o método precisa ser adaptado para cada realidade, levando em consideração o ambiente, materiais, mão de obra etc. Além disso, deve ser feito um esforço para inteirar todos os funcionários envolvidos na obra, de forma que abracem a metodologia e a façam funcionar.

2. Negligenciar a estimativa de custo indireto

Os custos indiretos são as taxas, custos administrativos, impostos etc. Sua análise costuma ser um dos maiores problemas nos orçamentos de projetos de engenharia. Isso porque eles necessitam de uma atenção maior que os custos diretos — que são mais claros e objetivos. Os custos indiretos mudam e se camuflam, mas cabe ao bom profissional identificá-los e prevê-los.

3. Não atualizar a precificação

Um orçamento de obras, assim como qualquer outro, é feito de inserção de diversos custos e preços no plano orçamentário. Logo, o erro mais grave é quando se erra nesse elemento tão básico. Isso ocorre por várias razões, mas a principal delas é por descuido e falta de consulta a preços atualizados.

4. Esquecer os impostos

Por não envolver diretamente a obra, esse quesito costuma ser deixado de lado. Entretanto, se o cálculo de impostos estiver errado, isso pode comprometer o orçamento da obra como um todo. Além disso, o não pagamento do imposto pode levar a cobranças judiciais e, em casos mais graves, ao fechamento da obra.

5. Esquecer valores de frete e descarga

Este erro é bastante recorrente e acarreta danos imensos ao planejamento e orçamento de obras. O primeiro deles é o aumento do custo da obra quando esse valor não é levado em consideração desde o princípio. Ao recorrer a fretes de última hora, sua obra corre o risco de ficar mais cara e atrasar.

Aliás, o atraso é outro fenômeno que leva a prejuízos. Há um ditado popular que diz que “tempo é dinheiro”. Com o atraso da obra e consequente efeito cascata com atraso de entrega, perde-se muito dinheiro no pagamento de funcionários e até mesmo a qualidade dos materiais pode ser comprometida, pois o canteiro de obra costuma ser hostil ao armazenamento de materiais.

6. Não realizar visitas de campo

É essencial que um bom profissional, responsável pelo orçamento de um empreendimento ou projeto de engenharia, conheça metodologias modernas de gerenciamento. Para isso, pode-se utilizar as ferramentas tecnológicas que auxiliem na implementação destas metodologias e no acompanhamento do trabalho.

Ainda assim, é necessário que o profissional conheça e visite a obra. Realizar visitas ao local, sentir as condicionantes e analisar presencialmente os desafios que estão ali é essencial. Com isso, muitas lacunas podem ser apagadas e impede-se que algum problema impossível de constatar de longe, no escritório, vire uma bola de neve.

7. Desconsiderar as leis trabalhistas por região

Um erro bastante comum é quando o responsável por planejar o orçamento de um projeto de engenharia desconsidera, para o pagamento de seus funcionários, os valores e parâmetros atualizados da mão de obra por região. Além de auxiliar a prever de forma mais organizada o orçamento, essa ação evita futuros processos trabalhistas, que causam danos de reputação à empresa, além de prejuízos financeiros.

8. Não fazer curva ABC

Na construção civil, a curva ABC é essencial para que se faça uma análise mais precisa acerca dos orçamentos de itens e matéria-prima. Isso porque esse relatório permite verificar o plano proposto, revisando os itens e processos aplicados no empreendimento. Isso é realizado para que a obra esteja adequada ao ambiente e os responsáveis saibam quais materiais precisam de mais atenção, evitando desperdícios e perdas.

Como evitar estes erros?

Para evitar esses erros é necessário tomar diversas atitudes, como você já percebeu. A primeira delas é se manter constantemente atualizado quanto aos valores do mercado, seja de materiais de construção, seja de valor pago a profissionais. Questões como impostos e taxas também devem ser revisados periodicamente.

Por fim, vale a dica de sempre conhecer de perto o trabalho que está sendo realizado — isso aumenta a sua compreensão acerca de desafios e necessidades do projeto de engenharia.

O orçamento de obras é uma etapa crucial para um projeto de engenharia e ele deve ser feito com bastante cautela, a fim de evitar velhos erros. Para tal, conte com metodologias modernas e softwares inovadores. Além disso, invista em você mesmo e na sua capacitação para realizar bons orçamentos!

Agora que você já sabe quais são os erros mais comuns no orçamento de obras e o que fazer para evitá-los, que tal entrar em contato com a IBEC? Temos muito material sobre o assunto, além de muita experiência em especialização na área de engenharia de custos!

Comentários
Post by IBEC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *